Charles e Ray Eames

Uma cadeira parecida com uma batata Chips. Outra semelhante uma “velha luva de jogador de baseball”. Um biombo ondulante…

Com grande senso de aventura, Charles e Ray Eames transformaram sua curiosidade e entusiasmo ilimitados em criações que fizeram deles uma grande e verdadeira equipe de design formada por marido e mulher. Sua sinergia única resultou em um estilo completamente novo de mobília. Fina e moderna. Divertida e funcional. Lisa, sofisticada, e maravilhosamente simples. Esse era e ainda é o “estilo dos Eames”.

Esse estilo e sua relação com a Herman Miller começaram com cadeiras moldadas em compensado no final dos anos 40 e inclui a mundialmente famosa Eames lounge chair, que agora pertence permanentemente à coleção do Museu de Arte Moderna de Nova York. Charles e Ray alcançaram esse sucesso monumental ao abordar cada projeto da mesma maneira: Ele nos interessa e nos intriga? Podemos melhorá-lo? Vamos nos “divertir pra valer” ao fazê-lo? Eles amavam seu trabalho, que era uma combinação de arte e ciência, design e arquitetura, produto e processo, estilo e função. “Os detalhes não são detalhes”, dizia Charles. “Eles fazem o produto”.

Um criador de soluções que encorajava experimentos entre os membros de sua equipe, Charles disse certa vez que seu sonho era “ter pessoas trabalhando em projetos inúteis. Neles encontramos a origem de novos conceitos”. Seus próprios conceitos evoluíam com o tempo e não da noite para o dia. Conforme Charles observava o desenvolvimento das cadeiras Molded Plywood, “Sim, foi um lampejo de inspiração”, dizia, “um lampejo que durou 30 anos”.

Com estes dois, uma coisa sempre parecia levar à outra. Seu trabalho revolucionário com compensado moldado os conduziu para um trabalho ainda mais inovador com cadeiras em fibra de vidro moldadas. Foi o concurso de uma revista que os levou a esse “Estudo de Caso” altamente inovador para seu público. Sua paixão por fotografia levou à produção de filmes, incluindo uma exibição em sete telas imensas na Feira Mundial de Moscou em 1959, no interior de um domo projetado por seu amigo e colega, Buckminster Fuller.

O design gráfico levou ao design de showrooms, coleções de miniaturas e criação de miniaturas. E um aparelho para apoio feito de madeira, montado provisoriamente por seu amigo, o diretor Billy Wilder para tirar cochilos, levou ao desenvolvimento de seu aclamado design de espreguiçadeira.

Um crítico de design disse certa vez que este extraordinário casal “só queria fazer do mundo um lugar melhor”. Isso eles fizeram. E também o tornaram muito mais interessante.